Você, que destesta matemática…

…ao ler os artigos sobre a distinta ciência na Desciclopédia será acometido – certamente – de profundo êxtase, ao descobrir que existem muito mais pessoas que compartilham da mesma opinião que você: “matemática pra quê?”

Lendo toda aquela parafernalha hilária (sério, alguns artigos me fizeram lacrimejar de tanto que eu ri – mas isso porque as piadas fizeram sentido pra mim, claro) resolvi trascrever alguns para cá, como motivação para os preguiçosos.   Ei-los:

Etmologia

“Matemática” é uma palavra de origem grega, junção das palavras “Má” e “Temática”, significando, portanto, temática ruim, ou simplesmente filosofia do capeta.

É uma matéria que entrou no cú-rriculo escolar para infernizar a vida dos alunos.

Há rumores de que quem tenha criado a matemática teria sido ninguém mais e ninguém menos do que o próprio Silvio Santos que precisava de “alguma coisa” para “preencher” suas tele-senas (aliás, que foi inventada depois da matemática.)

Antigo Período

(…) Os muquiranas mais antigos que se conhecem são os egípcios e os babilônios, que datam aproximadamente do ano 3500 a.C..

Os egípcios usavam um sistema de agrupamento simples, com base 10. Muito simples. Extremamente simples. Observe:

Um traço vertical valia 10. Dois traços na vertical valia 10 e 2/3.
Dois traços paralelos e antepostos valiam 83.
Um traço curvado como um “U” invertido valia 33 menos quando era lua cheia.
Já um traço em forma de caracol, valia menos que a metade da raiz inversa do “U”
(menos o grau do equinócio
).

Consistência

Um dos maiores questionamentos da humanidade é se a matemática está certa ou não. Graças a Kurt Gödel (que tinha suas despesas bancadas por uma tia de segundo grau, e, por isso, tinha tempo para perder com essas besteiras) hoje podemos analisar a consistência da matemática. Para provar seus teoremas, Gödel utilizou-se de um artifício muito roubado, que é usar a matemática para falar de matemática, também chamado de Meta-Matemática, ou simplesmente M&M.

Veja os teoremas de Gödel abaixo:  

Teorema 1) Se T é um teorema, T+1 não é um teorema.

Com isso Gödel mostrou que não existe um próximo teorema.

Teorema 3) Se T for qualquer coisa, menos um teorema, então T+1 é um teorema, exceto quando T+2 e T-3 não são teoremas, o que implica em T+4 ser teorema se e somente se T for qualquer coisa exceto bananas.

Com isso Gödel não provou nada.

Teorema 5) Qualquer teorema que fale de si mesmo é mentiroso. Incluindo este.

Com isso Gödel ganhou um convite formal para se hospedar em uma clínica psiquiátrica. No entanto, Gödel recusou, o que nos levou aos próximos teoremas (que não existem):

Teorema 7) Teoremas não são corolários. Tampouco lemas. Dependendo da situação podem se tornar conjecturas, mas só se tiverem sido postulados pelo menos três vezes. 

Teorema 10) A matemática é feita de teoremas. Os teoremas que não são provados são os axiomas, que podem ser escolhidos aleatoriamente, desde que T+42 não seja teorema provado, e que 3T-1 seja axioma não-provado por axiomas provados.

Teorema 12) A matemática é capaz de resolver tudo, incluindo o próximo teorema.

Teorema 13) Este teorema existe.

É fácil ver que estes argumentos são consistentes, mas que levam a uma contradição. Ou seja, tudo pode ser provado – ou não – desde que se acredite estar fazendo a coisa certa – ou não. Resumindo: Gödel não chegou a lugar nenhum, mas até que foi divertido.

Gostou? Veja mais na Desciclopédia.

Não gostou? Então não veja mais na Desciclopédia.

Saudações Gödelianas.

Anúncios

Um pensamento sobre “Você, que destesta matemática…

  1. Caro Professor Marco Castro,

    Não detesto, antes pelo contrário, mas não percebi bem o alcance do que diz: não sei, se é a sério ou a brincar … a brincar se dizem coisas sérias!

    Quando souber (estudar) mais, embora já saiba algumas coisas sobre o(s) Teorema(s) de Goedel, dou uma opinião capaz, assim espero.

    A minha opinião de momento é que a impossibilidade intrínseca de saber, em certos casos, se uma dada afirmação (proposição) é verdadeira ou falsa não tem impedido o progresso da Matemática: ele é bem patente, parece mesmo que se acelerou nas últimas décadas.

    Aproveito para o informar de que o incluí nos meus links; de resto, você já o tinha feito.

    Cumprimentos

    Américo Tavares

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s